O Estado na economia da música

A indústria fonográfica, diferentemente de outros segmentos da indústria cultural como o audiovisual, shows e teatro, cresceu e viveu por iniciativa privada. Nos últimos anos, a revolução tecnológica balançou sua base econômica resultando em queda de receita.

Nesse cenário, presenciamos parte da classe artística clamar por maior participação ou mesmo intervenção do Estado na economia da música, notadamente na gestão de direitos autorais.

Até onde pode ou deve ir o Estado, e como o pensamento liberal pode inspirar o setor a manter a sua independência.

Palestrante: Bruno Garschagen

(sobre seu livro “Pare de Acreditar no Governo – Por Que os Brasileiros não Confiam nos Políticos e Amam o Estado” – Ed. Record)

Debatedores: Bruno Garschagen, Rodrigo Mezzomo, Thomas Roth, Tuninho Galante

Mediação: Eder Borges